Museu dos Descobrimentos

A primeira coisa que aprendi sobre ter um cão bebé é que nos resta pouco tempo para outras coisas que não sejam educar, brincar, limpar e dar colo a este ser peludo que invadiu a casa há pouco mais de uma semana. Além das horas normais de trabalho, tenho a sensação de não ter feito absolutamente mais nada esta semana. E, claro, também não consegui vir aqui contar-vos coisas giras.

Uma aventura que tinha em dívida já há bastante tempo era a crónica da minha visita ao recém criado Museu dos Descobrimentos, no Porto. Chama-se World of Discoveries e vem colmatar uma lacuna grave no panorama museológico português: o de não haver uma exposição permanente de qualidade sobre a Expansão Portuguesa.

Rumámos ao Porto para uma visita que não foi tão boa quanto esperávamos, não porque o Museu não seja muito interessante, mas porque foi atingida por uma das minhas enxaquecas assassinas que me toldam o raciocínio e que tornam um suplício estar acordada ainda que de olhos fechados.

Mas vamos ao que interessa… O Museu está montado num prédio de fachada estreita, na Ribeira do Porto. A entrada é acompanhada por simpáticos animadores trajados a rigor que nos levam a passear pelas várias sala com écrans interactivos repletos de informação sobre a história da Expansão e por salas caracterizadas como convés de navios, onde vestimos armaduras e carregamos canhões. Após várias salas, chegamos ao Cais, onde somos convidados a embarcar em pequenos navios que nos levam, por um circuito aquático, a passar pelas várias fases e destinos da Presença Portuguesa no Mundo. Alguns dos animais são verdadeiros o que dá ainda mais ambiente ao passeio.

O ponto fraco é a loja onde não encontrei nada que valesse a pena trazer como recordação.

Os bilhetes não são baratos. O de adulto custa 14€ se for comprado no Museu e 11,90€ se for comprado online.

Ainda assim, se passarem pelo Porto, vale a pena ir conhecer. Deixo umas fotografias do passeio de barco para abrir o apetite:

016601520157016101640170 0171 0172

Anúncios

Color Run Porto | corrida

Não há muito como explicar o que se passou hoje no percurso da corrida! Fez-se tudo menos correr (mais ou menos, porque até corremos um bocadinho) e o resultado foi 8 pessoas extasiadas de tanta alegria e todas cagadas de tinta de alto a baixo 🙂

Aconselho toda a gente a fazer a Color Run das vossas cidades. Toda a gente está super bem disposta, faz hi5’s, corre, brinca, passeia cães, larga tinta, sorri, ri às gargalhadas, canta… Uma autêntica loucura!

E a melhor coisa é saber que tivemos todos uma tarde diferente, porque, por mais voltas que dê…não há nada que me deixe melhor do que ver os meus meninos felizes 🙂

Aqui ficam as fotos:

20130928-205058.jpg

20130928-205145.jpg

20130928-205218.jpg

20130928-205318.jpg

20130928-205118.jpg

20130928-205242.jpg

20130928-205331.jpg

20130928-205348.jpg

Crazy Weekend – etapa 1 completed!

A primeira fase já está! Quase não apanhámos chuva, ouvimos o Governo Sombra, uma selecção das melhores Mixórdias de Temáticas, conversámos, dormimos, jogámos jogos parvos, e tudo isto sem sair da A1!
À chegada ao Porto, os primos já estavam à nossa espera à porta do Capa Negra e foi chorar a rir do primeiro ao último gole de sangria!
1a etapa concluída com sucesso. Até amanhã…

20130928-015416.jpg

20130928-015426.jpg

A dita viagem a Guimarães

Só porque prometi o relato do fim de semana em Guimarães… vou ter que contar aquilo que foi, na verdade, uma almoçarada no Porto!

Estávamos super animados, é um facto. Andávamos a planear este fim-de-semana há séculos. Mas há momentos em que a vida nos prega partidas e eu tenho o hábito de, quando a vida decide pregar partidas a amigos meus, ficar do lado deles.

Já íamos adiantados na A1 quando recebemos um telefonema de Lisboa, a dar conta de uma notícia que nos fez decidir na hora que íamos voltar todos para baixo. Mas, antes disso, e para não darmos por completamente perdidos os kms que tínhamos feito, decidimos ir almoçar ao Porto!

Emborcada que estava a francesinha especial do Capa Negra lançámo-nos a pé pela rua abaixo, atravessámos a baixa toda e acabámos a tarde a visitar a livraria Lello e a beber um cházinho no Forno dos Clérigos com a minha prima. E, dado tratar-se de um fim de semana pascal, ainda trouxemos para casa três caixas de glórias!

Foi um dia bem passado, apesar de tudo, mas agora falta re-programar o fim-de-semana na cidade berço!

A dita viagem a Guimarães - Destaque

Imagem Guimarães 2012
Fonte: Oficina de História e Arqueologia