Mosquitos: be aware!

Hoje um colega partilhou na nossa Rede Social interna um artigo da Yahoo Health sobre factores que fazem os mosquitos preferirem morder um determinado tipo de pessoas em detrimento de outras. Já agora, vale a pena pensar nisto…

(Isto é um breve resumo. Quem quiser ler o original e respectivas fontes científicas e assim, pode fazê-lo aqui.)

Tipo de sangue: os mosquitos preferem pessoas com sangue do tipo O;

Cerveja: ter bebido cerveja recentemente potencia o risco de atrair mosquitos;

Lua: estes insectos ficam 500 vezes mais activos em noites de lua cheia;

Meias calçadas: parece que o cheiro de pés sujos é super atractivo… alguém entende estes bichos???

Grávidas: pois é, os mosquitos apercebem-se quando uma mulher está grávida e atacam;

Fuga: não vale a pena correr para fugir deles… o dióxido de carbono e outras substâncias que exalamos pela transpiração aumentam o apetite aos mosquitos;

and last, but not least…

Vestir como as noivas: as roupas escuras também lhes chamam mais a atenção!

Mosquito_da_Dengue_by_Lukemaciel

 

Sempre vens para o café?

 

Imagem2

Preciso de dormir, mas parece que é de dia. Continuas a olhar para mim da janela e a entrar à força pelas cortinas demasiado transparentes que eu insisti em ter porque queria acordar com a luz do sol.

Se queres entra, bebe um café, ou chá, porque já é tarde… pensando bem… é tarde para mim, que amanhã trabalho e preciso mesmo de dormir. Mas tu começas agora o turno, não é? Então vá, vou ligar a máquina. Senta-te e faz de conta que é a tua casa. Já que não me deixas descansar, sempre me fazes companhia. Mas porque é que vieste hoje? Não me digas que foi a Maria e o Ricky que te mandaram porque eu disse que precisava de uma luzinha… é capaz de ser isso porque eles nunca me falham.

Então e o que é que tens feito? Começa tu, porque se eu for falar da minha vida ficamos aqui até de manhã e tu não podes deixar o mundo às escuras. A minha mãe gosta muito de ti, sabias? Não sei porquê. Deve ser por causa das fases. Eu também tenho muitas fases e ela também gosta muito de mim, por isso faz sentido.

Como é que é isto tudo lá de cima? Já te deste conta de que o país anda deprimido? Não? Pois, é natural. Tens muita gente para ver e nós somos tão pouquinhos… Sempre é verdade que Deus existe? Ah! Também não sabes… pois… uns dizem que sim, outros que não e eu, por mais que pense, não chego a conclusão nenhuma…

Deve ter graça ver isto tudo do alto. De certeza que nunca te cansas… tens milhões de casas e hotéis e cabanas para ver e biliões de vidas para observar. Às vezes não gostas de imaginar quem são as famílias por trás das janelas iluminadas, como eu fazia quando passava na 2ª circular dentro do carro do meu pai e via os prédios de Benfica?

Consegues falar com pessoas? Não? Ah, é pena… Se não mandavas um beijinho ao António. E ao Nando, e ao Marco, e à Carla, e aos Pompas! Tenho tantas saudades deles… e dos outros todos! Dói tanto… a mim, pelo menos, dói-me. O sofrimento do mundo em geral. Não consigo ver ninguém sofrer sem trazer um bocadinho desse sofrimento comigo e torna-se muito cansativo…

Gostas de música? A sério? Nice! Eu estive duas horas a tocar e estou cheia de dores nas costas, mas quando estava ao piano nem dei pelo tempo.

Então e agora? Tens de ir não é? Tens que ir iluminar outras cidades. Vai lá então, lua. Mas começa pelo Rio, para que o caminho deles continue iluminado em direcção ao futuro que merecem ter. E não te esqueças do resto da malta… Amsterdão, Londres, Nova Iorque, Macau, Macerata, São Paulo… Se não podes falar com eles, quando lá chegares pisca duas vezes. Eles vão saber que eu não me esqueço.

Foto Luz
Concerto Simone, Coliseu dos Recreios, 12 Abril 2011 by Rui M. Leal

Luanda, Lua

Imagem1

A Luanda, Lua é uma cachorra que teve a sorte de ser adoptada por uma família cheia de amor. Uma família igual a tantas outras e diferentes de todas elas 🙂 A Marta e a Mariana, que adoptaram a Lua, são mães de três crianças A Marta é surda, facto que a Lua percebeu imediatamente, mas consegue comunicar-se com ela na mesma. Nesta casa, vivem 2 mulheres, 1 menina, 2 meninos e 2 cães. A história da família é-nos contada pela Lua, desde o dia em que foi adoptada até agora, e é acompanhada por lindíssimas ilustrações que nos transportam para um lar doce lar cheio de amor.

O livro vem acompanhado por um DVD que traduz a história para Língua Gestual Portuguesa e vale muito, muito a pena 🙂

By the way…

… soube que a Marta existia, ainda sem lhe conhecer o rosto, através de um vídeo da música Todos os Verbos, em que a Zélia Duncan dizia (e mostrava!) ter aprendido com uma fã surda como traduzir a letra para Língua Gestual Portuguesa. Fiquei fascinada. Lembrei-me logo de um período, na minha pré-adolescência, em que pensei seriamente em aprender LGP.

Fiquei com vontade de “procurar” a Marta, mas não sabia nada sobre ela, nem sequer o nome. Este Verão, no concerto da ZD nas Festas de Cascais,  a Marta foi chamada ao palco e mostrou-nos como se pode levar um pouco da magia da música ao universo de quem não ouve. Além de ter sido um momento muito bonito, fiquei super contente! Tinha-lhe encontrado o rasto!

A magia das Redes Sociais conduziu a que, anteontem, eu estivesse a recomendar à Marta o que ela deveria fazer nas duas últimas horas que lhe restavam no Rio de Janeiro antes de regressar a Portugal 🙂

Ontem foi finalmente o dia de nos conhecermos ao vivo (ainda que por cerca de 2 minutos!) Saí das aulas de música a voar para o São Jorge, onde ia ser lançado o “Luanda, Lua” o último livro da autora e consegui chegar a tempo de ver os últimos 8 minutos do filme.

Depois vivi dois minutos de alguma ansiedade em que perguntei 3 vezes ao Ricardo, que estava comigo, como é que eu havia de falar com ela… (porque até agora só tínhamos falado por escrito). E fui! Bastou dizer que era a Joana do Twitter e ganhei uma dedicatória no meu exemplar que li assim que cheguei a casa e que fiquei com vontade de oferecer aos meus amigos todos 🙂