A surpresa da Sofia Pilates

Já estou a preparar mais uma surpresa daquelas que adoro fazer aos meus amigos, assim, sem motivo nenhum, só porque me apetece. Mas enquanto estou a preparar a próxima, fica aqui o relato da mais recente…

Há cerca de um ano / ano e meio começámos a ter Pilates com uma instrutora nova, que é apaixonada pelo que faz e não há forma de isso não passar para as alunas. A Sofia acha que o Pilates é o melhor exercício físico do mundo e não adianta dizer-lhe que o que é mesmo fixe é fazer flexões e treinar braços que ela não vai na conversa. Como boa profissional que é, a Sofia quer sempre ensinar-nos mais sobre o assunto e há momentos em que temos verdadeiras aulas de anatomia. Nos últimos dois meses, em que vivi enterrada em trabalho, faltei algumas vezes às aulas e a Sofia ameaçou-me várias vezes com trabalhos de casa. Tanto me ameaçou que eu, que também gosto muito de estudar as coisas que faço, decidi inventar trabalhos de casa… Portanto, sem lhe dizer nada, fui investigar dois músculos: o Multifidus e o Tensor da Fáscia Lata. Fiz um tpc amoroso sobre cada um deles:

IMG_0261

IMG_0260

IMG_0262

E fui entregá-lo ao Vivafit logo de manhã, ainda a Sofia lá estava sozinha a preparar-se para a aula das 9h30 🙂

E para quem me pergunta tantas vezes “Ò Joana, mas porque é que tu és assim e gastas tanto tempo a fazer coisas para as outras pessoas?”. É simples, eu tenho cá para mim que as pessoas que se cruzam na minha vida e que ficam são postas na minha vida para que eu cuide delas e não conheço outra maneira de cuidar que não seja com amor 🙂 That’s it!

Anúncios

Os efeitos terapêuticos do ginásio…

Terça-feira foi um dia difícil, daqueles em que tudo corre mal… E eu, que nasci com o rabinho virado para a lua, não estou habituada a isto.

Não consegui levantar-me às oito para fazer uma data de coisas de que precisava antes de ir trabalhar, tais como arrumar a casa e ir ao Registo Civil e saí de casa chateada comigo própria  porque há vários dias que não havia força de vontade que me tirasse da cama a horas.

Andava às voltas com uma série de decisões que preciso de tomar… Estava preocupada com duas responsabilidades que assumi na Candeia… E andava numa de anti-social, sem estar com ninguém há algum tempo.

Depois de almoço, não consegui fazer a digestão e fiquei mal disposta a tarde toda enquanto trabalhei arduamente num ficheiro com mais de trezentos megas que tinha que entregar num cliente no dia seguinte. Para ajudar ainda mais, recebi uma mensagem da Tatiana a dizer que o senhor a quem tínhamos alugado a casa para o fim-de-semana em Guimarães tinha ligado a dizer que afinal estava ocupada e comecei a ver o nosso weekend a ir pelo cano.

Para finalizar em beleza, às 17h30 da tarde o pc do escritório teve um bug e apagou-me o trabalho das 4 horas anteriores! Não é maravilhoso?

Ainda ponderei não ir ao ginásio e ficar a trabalhar, mas depois pensei: “Não! Vou sair, vou ao ginásio, apanhar ar, como qualquer coisa e depois venho!” Tinha a certeza que se fosse ao ginásio ia ficar muito melhor.

E assim foi. Fiz uma aula fantástica de Body Ballance, e acabei por fazer a digestão do almoço. Fui jantar a casa da minha mãe e depois voltei para o escritório. Com 1h30 de esforço informático consegui recuperar os dois ficheiros e em meia hora despachei o que me faltava. Dormi, acordei cedo, fui ao Registo, deixei a casa num brinco, e quando cheguei ao escritório tinha uma mensagem da Tatiana a dizer que tínhamos arranjado casa em Guimarães, apresentei o trabalho no cliente e voltei de lá com imensos elogios e ao fim do dia diverti-me à grande e à francesa no churrasco em casa do Antão!

Pronto! Voltei a lembrar-me que a única coisa que não tem solução é a morte e as doenças crónicas 🙂

Brincar de Leblon

Ontem decidi ir a pé de casa para o ginásio, para quem conhece, do Jardim de Stº Amaro de Oeiras até à estação de comboios de Paço d’Arcos.
Estava a sair de casa e a pensar “Não me apetece nada fazer meia hora de máquinas antes da aula de Body Vive, mas tem que ser”! Já estava com a chave na porta quando me lembrei que 45 minutos de caminhada também é um bom exercício e serve de aquecimento. Voltei atrás, vesti a roupa do treino (que é a maneira fina de dizer fato de treino), pus a mochila às costas, os fones nos ouvidos e lá fui.
Andar na praia, ao pôr-do-sol, transporta-me sempre para os melhores fins de tarde da minha vida, que passei em Ipanema, no Leblon e na Urca. E descobri que, com a banda sonora certa posso lá ir todos os dias 🙂
O pior foi quando percebi que tinha 30 minutos e não 45 para estar no ginásio a horas da aula, que não queria mesmo perder. Acelerei o passo e cheguei mesmo a tempo!
Um aquecimento paradisíaco e nem por isso menos bem feito. Às vezes a felicidade está literalmente à porta de casa…