Um passo de cada vez…

fotografia 1

Ter estado uns meses parada rebentou com a minha condição física.

Há cerca de um ano abrandei de repente o meu ritmo de treino e mais perto do fim do ano parei mesmo. Abruptamente. 

Houve uma série de motivos para isso, mas vamos pelo mais simples de explicar: houve um moço e uma cadela bebé a mudarem-se para a minha pequena casa 😀

Quando decidi voltar a treinar, não foi fácil. Perceber que estava num ritmo muito abaixo daquele em que tinha parado foi duro. Perceber que o meu grupo de treino estava num ritmo ainda mais elevado do que quando eu tinha parado foi muito duro. A motivação foi-se abaixo. Cheguei a estar à porta do ginásio para ir treinar e desistir. Outras vezes, saía do trabalho a correr para ir treinar e não conseguia chegar a tempo. O vício bom estava a transformar-se numa dor. Não podia ser.

Há uns tempos atrás decidi que tinha que encarar a coisa de outra maneira. Alterei tudo. O plano de treino, os horários e as expectativas. Passei a treinar de manhã.

Tenho a facilidade de não ter horário estabelecido no trabalho e poder entrar mais tarde e sair mais tarde. Desde Fevereiro treino de manhã três vezes por semana e na semana passada voltei a nadar, coisa que não fazia quase há dois anos. Muitas vezes saio do ginásio frustrada por não conseguir fazer algumas coisas que já fiz em tempos. Mas normalmente consigo focar-me naquilo que consigo e nas pequenas vitórias do dia-a-dia, como por exemplo, num alongamento conseguir tocar com as mãos no pé direito, ou conseguir passar directamente de guerreiro 1 para 3, no Body Balance. Dizem que estou menos sorridente no treino. Eventualmente estarei, sim… mas é porque estou muito mais concentrada. E finalmente consigo estar apenas concentrada no meu treino, nos meus limites e nos meus objectivos, sem mais distracções. E tem sido muito bom. Às vezes vou treinar à tarde, para matar saudades da malta, mas a verdade é que gosto muito de treinar de manhã, onde o meu treino é só meu e onde sinto que estou a construir todos os dias. Devagarinho, um passo de cada vez, e sem me “castigar” por treinar abaixo de X ou Y. Até porque o treino é o meu hobby preferido e por isso é também a melhor maneira de começar o dia!

fotografia 2 fotografia 5

Porque é que é bom levar na orelhas da PT…

.Porque uma atleta que fica uma semana sem treinar merece levar nas orelhas (shame on me!)
.Porque ela sabe, melhor do que ninguém, o bem que o treino nos faz
.Porque ela não nos vai deixar falhar nunca
.Porque ela sabe que o nosso limite é sempre um bocadinho mais além do que nós pensamos
.Porque se nos faltar a força, ela não nos deixa cair
.Porque se nós lhe pedimos para treinar pernas mas ela decide rebentar com a nossa resistência cardíaca, ela é que sabe!
.Porque eu estudei comunicação e ela estudou desporto. Isso faz toda a diferença…
.Porque vamos mais longe quando ela está lá a jurar que nós somos capazes
.Porque ela é nossa amiga a sério, dentro e fora do ginásio
.Porque ela vai de férias para a semana e já estamos a pensar o que é que vai ser do nosso treino nos próximos 15 dias
.Porque mesmo quando nós achamos que já não dá mais, ela obriga-nos a descer mais 1 centímetro
.Porque a foto mais gira da Vivafit Party é da nossa PT com as atletas!
.Porque ela é a Raquel e isso torna tudo muito mais fácil! 🙂

(Desculpem lá se eu tenho o privilégio de treinar com a melhor PT do mundo… temos pena! eheh) 

1378776_621191717919319_1576502833_n

Color Run Porto | corrida

Não há muito como explicar o que se passou hoje no percurso da corrida! Fez-se tudo menos correr (mais ou menos, porque até corremos um bocadinho) e o resultado foi 8 pessoas extasiadas de tanta alegria e todas cagadas de tinta de alto a baixo 🙂

Aconselho toda a gente a fazer a Color Run das vossas cidades. Toda a gente está super bem disposta, faz hi5’s, corre, brinca, passeia cães, larga tinta, sorri, ri às gargalhadas, canta… Uma autêntica loucura!

E a melhor coisa é saber que tivemos todos uma tarde diferente, porque, por mais voltas que dê…não há nada que me deixe melhor do que ver os meus meninos felizes 🙂

Aqui ficam as fotos:

20130928-205058.jpg

20130928-205145.jpg

20130928-205218.jpg

20130928-205318.jpg

20130928-205118.jpg

20130928-205242.jpg

20130928-205331.jpg

20130928-205348.jpg

Run Keeper

87702c6b6a7a3d5d1b15e375b2441cf6A App Run Keeper foi aconselhada pelo mestre José Guimarães, que foi uma das pessoas que mais me incentivou a correr. Só me disse que não sabia muito bem como era a integração com as playlists do itunes porque ele gostava de correr a ouvir os pés a bater no chão e a respiração a ficar cada vez mais rápida.

Eu não. Eu gosto de correr com música. Porque preciso. A corrida é um prazer, sem dúvida, mas preciso de música nos ouvidos e não é uma música qualquer. É a playlist Power, constituída apenas pelas melhores músicas do Body Vive e do Sh’bam porque quando estou a correr, só há dois pensamentos na cabeça: o objectivo e a regra “não podes parar! Se a Raquel estivesse aqui tu não ias parar, por isso tens que conseguir sozinha!”.

E tenho encontrado no Run Keeper um excelente companheiro de corrida. Além da minha mãe, que faz altas caminhadas a ver-me correr, da Rita, que normalmente corre à mesma hora que eu mas em sentido contrário e à Inês, que faz longas caminhadas a ver a Rita correr. E cruzamo-nos todas, ao Domingo à tarde, nesta cena fixe que é ter uma vida desportiva activa 🙂

Esta aplicação é uma espécie de MacGyver da corrida. Toca a playlist escolhida, conta o tempo, a velocidade, a distância, a velocidade média e instantânea e no fim ainda faz um mapa de GPS com o trilho percorrido. No final do treino ainda nos pergunta como é que nos sentimos, tira-nos uma fotografia pós-treino e, se quisermos, ainda partilha o relatório de treino nas nossas redes sociais. Mesmo para mim, que trabalho numa software house, isto tudo parece magia. Recentemente ainda descobri mais uma feature, esta sim, espectacular…

A Sofia (NL) tinha-me recomendado uma App chamada “from couch to 5km”, que tinha planos de treino para pôr um sedentário a correr 5km. Dei uma vista de olhos pelos treinos, mas achei que já fazia melhor do que aquilo, por isso descarreguei a sequela “10km runner”. E a grande descoberta foi que consigo pegar nos planos de treino desta aplicação e inseri-los no Run Keeper e assim aproveitar o melhor dos dois mundos 😀

Um dia destes, contem aqui com o relato da minha primeira corrida de 10km!

fotografiafotografia-cópia 2fotografia-cópia