OKR’s – Manter o foco

Hoje é Sábado, e por isso, proponho-vos tirar um tempinho para pensar sobre isto.

Na empresa onde eu trabalho, temos uma cultura muito própria. Uma cultura de respeito mútuo, camaradagem, muito profissionalismo, celebração e busca pela felicidade, entre outras coisas boas.

Muitas destas coisas são intrínsecas à empresa e à equipa e são parte importante dos requisitos quando recrutamos alguém. Outras, vamos encontrando por aí, na cultura de outras empresas que partilham as suas práticas. É o caso dos Objectives and Key Results (OKR’s). Trata-se de um desafio individual para cada colaborador, mas público, uma vez que os OKR’s de cada um têm que ser visíveis a toda a empresa.

Nos OKR’s, cada um de nós define X objectivos para o trimestre seguinte e, para cada objectivo, alguns resultados-chave (necessários para que o objectivo seja cumprido). Desta forma, nos três meses seguintes, conseguimos manter-nos mais focados naquilo que é realmente importante, não nos deixando consumir por coisas que são apenas urgentes, mas não importantes.

Os OKR’s são uma prática da Google (saibam mais aqui) e têm as seguintes premissas:

– Os objectivos devem ser ambiciosos o suficiente para te tirarem da zona de conforto;

– Os resultados-chave devem ser mensuráveis (deve ser fácil avaliá-los com um número);

– A avaliação ideal para os OKR’s é 0.6 ou 0.7 (para quem use uma escala decimal de 0 a 1).

A parte mais gira é discutir os OKR’s com a nossa equipa. Eu tive boas surpresas quando pedi à minha equipa para me dar feedback sobre os que tinha definido para mim.

Muito importante: os OKR’s não são utilizados para avaliação dentro da empresa. É quase uma ferramenta de desenvolvimento pessoal. Aliás, além de objectivos estritamente profissionais, é possível, e até saudável, acho eu, definir Objectivos que interfiram com a nossa vida pessoal. Por exemplo, eu tinha sempre um problema à hora de sair do trabalho: tinha muita pressa para sair a uma determinada hora, para poder ir ao ginásio. E às vezes não me dava jeito nenhum sair a meio de algumas tarefas que já tinha em curso. A juntar a isto, ao fim da tarde trabalho muito melhor do que de manhã, porque há menos telefonemas, menos gente no escritório e consigo concentrar-me para tarefas mais longas. Pois bem, define como 4º objectivo “Melhorar o desempenho profissional através da alteração de hábitos” e o primeiro resultado-chave é “Treinar de manhã para não estar pressionada à hora da saída”.

Para pessoas que gostam de listas e que sofrem com o bicho da organização, como eu, também é bom fazer OKR’s para a nossa vida pessoal. Ajuda a manter o foco. Vou-me estrear este ano neste campo 🙂

Anúncios

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s