Caros “Ouvintes”,

Para todos aqueles que me perguntam várias vezes porque raio é que eu, sendo hetero, me dedico tanto à causa LGBT, aqui vai o esclarecimento:

Porque é que não me perguntam porque é que eu me dedico à causa da libertação do Tibete se não sou tibetana?

Ou porque é que sou a favor da liberdade religiosa, se sou ateia graças a Deus (como diria o padre Nuno!)?

Ou porque é que me envolvi na luta pelo sim à despenalização do aborto se nunca estive grávida?

Ou porque é que colaborei com o Centro de Recuperação do Lobo Ibérico, se sou uma pessoa, e não um lobo ibérico…?

Ou porque é que apoio o projecto Gota de Água se não sou uma árvore da Amazónia?

É porque eu acho que faz parte desta coisa gira que é sermos cidadãos do mundo lutarmos pelos direitos uns dos outros, e porque estou cansada de ver amigos meus a sofrer por causa de pessoas e leis preconceituosas. E porque a maior parte das pessoas que critica ou faz piadas com a homossexualidade não faz a mínima ideia do que é a vida difícil dos LGBT. Mesmo! Quantos de vocês já conviveram de perto (e quando eu digo conviver de perto é mesmo conviver de perto, não é só “Ah, eu conheço um!”) com um casal homossexual? Experimentem, a sério. Vão perceber que são iguaizinhos a nós, sem tirar nem pôr!

 

Anúncios

2 thoughts on “Caros “Ouvintes”,

  1. Conviver com um? Vários. Iguaizinhos na pele, no cheiro, na voz, na natureza. Há 3 semanas atrás descobri que os meus vizinhos de cima são um casal e não apenas dois rapazes bem parecidos a partilhar casa. E como é que soube que eram um casal? Porque um deles veio desculpar o outro, tal e qual como faria qualquer marido/mulher, pela forma rude como me tratou quando mandou calar os meus cães. E foi então que liguei os cabos e percebi que eram um casal e os gemidos que ouvia ao domingo de manhã eram deles 🙂 Tudo igual senhores e senhoras.
    A única coisa que não é igual, nunca, entre seres humanos, é o nível de ignorância que é bastante mais elevados nuns do que em outros, e isto vale para tudo: ignorância sobre os LGBT, sobre o que é amar e cuidar de um animal, ignorância sobre as crenças de outrém que não atropelam as nossas, sobre a necessidade de oxigénio deste planeta. É tão fácil ter-se medo da mudança, é tão fácil recear e é tão difícil querer saber mais, conhecer, querem entender, acima de tudo, ouvir.

    Podemos e devemos sempre fazer de tudo para esclarecer os outros, mas infelizmente nada podemos fazer pra que um ignorante seja inteligente ou curioso.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s