As Sofias da minha vida

e porque é que são 4 e meia? 4 Sofias e meia…

Não é porque a Sofia Castro seja pequenina, nem por elas, quase todas, me terem abandonado e terem ido para outras paragens! 😛

É porque são Sofias amigas, muito amigas, e a meia é uma Sofia que ainda é só conhecida, mas que me ensina muito de cada vez que estou com ela.

Hoje tenho alguma dificuldade em falar das minhas Sofias. Normalmente acontece isto:

“Ah e tal a Sofia ligou-me…”

“Mas qual Sofia, a Soares Franco?”

“Não essa é a de Londres. Ligou-me a Sofia Castro.”

“Ah, essa é a do Estoril ou a de Nova Iorque?”

“Nem uma nem outra, é a de Amesterdão.”

“Ah! A que vai contigo para o Rio!”

“Não… Essa é a Sofia de Nova Iorque!”

“Ok. Desisto!”

Por algum motivo que eu não sei qual, estas Sofias todas foram ganhando uma importância vital na minha vida. Cada uma à sua maneira, todas muito diferentes, são peças fundamentais no meu puzzle. E agora ganhei a Sofia do Estoril de volta para a minha vida depois de 12 anos sem nos vermos.

E o facto de estarem todas fora (e a Sofia do Estoril não está, mas está a caminho… qualquer dia vai passar a ser a Sofia da Austrália, ou coisa que o valha), também as faz puxarem-me para ir mais longe, em todos os sentidos e devo-lhes isso. O mostrarem-me dia-a-dia que é possível e não me deixarem desistir 🙂

Vamos então à meia… numa altura em que eu já estava absolutamente descrente do jornalismo, conheci a Sofia Lorena, jornalista da área de internacional do Público. E tenho tido o prazer de ver a Sofia trabalhar, mas de ver mesmo, de estar presente quando ela faz entrevistas e depois ver o resultado impresso no único jornal que ainda acho que vale a pena. E são lições de jornalismo atrás de lições de jornalismo que tenho o prazer de assistir ao vivo e que valem por 50 aulas de faculdade. E depois a simpatia, a humildade, o respeito por quem é, de facto, notícia… as idas aos cenários de guerra, que me deixam sempre arrepiada… e a última grande lição… que nunca tinha ouvido a ninguém: “Já tinha pedido muito à minha editora para me deixar ir para a Síria, mas desisti no dia em que percebi que tinham morrido civis para tentar tirar de lá jornalistas ocidentais. Não tenho o direito de lhes fazer isso. A minha vida não vale mais que a vida de ninguém!” E não sendo minha amiga, tem-me ensinado muito.

E por isso, obrigada a todas 🙂

 

Anúncios

3 thoughts on “As Sofias da minha vida

  1. Isso não é uma meia Sofia, é uma Sofia inteira. Essa lição vale mais que muitas que nós já te demos e que já de ti recebemos.
    No outro dia disseram-me que não sei receber….e acho que têm muita razão. Aprendi a dar tudo, aprendi a receber na Candeia, mas acho que não aprendi o suficiente. E quando leio os teus posts, estes assim que me colocam num lugar tão especial tenho que rever mentalmente os ensinamentos e dizer: obrigada Joana. Muito Obrigada. Ando a aprender a receber novamente, que queres q te faça? 😉
    Beijos!

  2. É verdade, a Sofia é fantástica. Mas vocês também são, todas!
    E gosto muito de vos ter por longe dessa maneira que vocês encontram de estar sempre mais perto do que quem está aqui ao lado 🙂

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s